12/09/2019

Entrevista com susi gordo, gestora comercial interna | vsm ibérica

Entrevista com Susi Gordo, que há 43 anos faz parte da equipe da VSM VITEX IBÉRICA

Oi Susi! Com 43 anos de experiencia no quadro de funcionários, você é a funcionária mais veterana da empresa, como consegue ficar tanto tempo trabalhando na mesma empresa?

Tendo conseguido trabalhar em todos os departamentos desta empresa, pode-se imaginar que a palavra tédio não seja relevante. Hoje, ainda existem desafios contínuos a serem superados e isso é muito importante, pois só assim o interesse e o entusiasmo por um trabalho podem ser mantidos por tanto tempo (e aquele que ainda resta). A imensa variedade de aplicações torna o mundo do abrasivo realmente interessante. Um estranho pode não entender.

Quando eles me perguntam o que a empresa para a qual trabalho faz, apenas para dizer abrasivo ou lixa, eles não entendem muito bem “como você pode viver” com isso. Você sempre tem que dar pequenos exemplos, começando com “lixa, como uma lixa de unha, mas maior”.
A primeira coisa que eles geralmente respondem é “ah, o que os pintores usam, certo?”

Então é hora de explicar a função (muito) básica de lixar, que nada mais é do que polir, com os exemplos correspondentes: talheres, potes, ferramentas, maçanetas, obviamente móveis, portas, peças de automóveis, instrumentos cirúrgicos são lixados. Lixas são vendidas até para depilação e muito mais.
Costumo usar objetos que estão em casa e / ou de fácil compreensão. A verdade é que, ao descobrirem, ficam bastante surpresos.

Você viveu praticamente toda a história da subsidiária, desde a sua fundação em 1974. O que você pode nos contar sobre as mudanças que o mercado de abrasivos passou desde então?

O mercado mudou bastante. Vale lembrar que existiam até mais de 20 empresas sediadas apenas aqui nesta comunidade, restando hoje muito poucas.

Mas atenção, isso não significa que não tenhamos concorrentes. Devemos pensar nas vantagens que o mercado comum trouxe, bem como nas facilidades na importação de produtos abrasivos.

A forma como os produtos são vendidos também mudou muito.

Os abrasivos flexíveis também evoluíram nesse período, quais inovações você destacaria como mais relevantes?

Os abrasivos flexíveis, desde então, como todos nós podemos pensar, mudaram substancialmente por serem muito mais tecnológicos.

É válido tanto para o abrasivo em si, quanto para sua aplicação e uso.

A VSM VITEX IBÉRICA também mudou muito desde a sua fundação, quais seriam as principais mudanças e como elas afetaram seu trabalho?

Obviamente, a computação fez seu papel.

Se hoje tivéssemos que trabalhar como nos anos 70/80 devíamos ter uma equipe, muito… grande, grande! Como sempre, temos o lado bom e o lado difícil. O bom é ter ferramentas que facilitam muito o seu trabalho, além de agilizar.

Embora, como todos sabemos … às vezes elas falham, mas pouco. Menos mal.

O bom, sem dúvida, foi o e-mail. Tudo é instantâneo, ótimo, mas também acarreta o estresse correspondente, devido à rapidez que hoje se exige em todos os procedimentos. Também perdemos um pouco da paciência e, talvez o mais triste, da comunicação verbal.

Mas você sabe … Tempo é dinheiro.

A VSM VITEX IBÉRICA tem clientes que mantêm a sua fidelidade há muitos anos, quantos anos têm os seus clientes com quem iniciou a colaboração há mais tempo?

É verdade que continuamos a ter clientes que estão quase lá desde o início.

Estamos falando de mais de 40 anos, o que não é nada mau. Essa fidelidade acaba sendo muito agradável. Muitos não podem se gabar disso.

Como Gerente Comercial Interno, você se comunica diariamente com os clientes. Depois de todo esse tempo, você terá até um relacionamento praticamente amigável com muitos deles. O que você pode nos contar sobre seu relacionamento com eles?

Obviamente, existem clientes mais antigos com os quais você tem uma relação “especial”, mas devo dizer também, não apenas com aqueles de “uma vida inteira”.

Existem também os mais “recentes” com os quais também existe uma relação quase amistosa. Com alguns, até temos relações de amizade em nivel pessoal.

Você atende a uma variedade de funções e a um número considerável de clientes. Como você consegue lidar com situações complexas e manter a calma?

Quem disse que eu posso “ficar calma”? Eu falo muito sozinha. Acho que para liberar as tensões.

Há dias em que meus pobres companheiros sofrem ao máximo minha “música ambiente”. Ainda bem que temos ibuprofeno, senão … não sei.

Brincadeiras à parte, como em todos os empregos há dias melhores e dias piores. O importante é terminar a jornada de trabalho satisfeito com o trabalho que você fez e se for com um sorriso… melhor.

Você pode nos contar alguma anedota engraçada que aconteceu com você durante esse tempo?

Ah sim, existem, mas são bastante internas e não compreensíveis por pessoas de fora. Talvez este: “Los Abrasiveños” (palavra inventada), chamamos a forma dos produtos, muitas vezes de uma forma diferente do consumidor.

Deixe-me explicar: uma “cinta ou fita” seria uma banda estreita ou larga (a última também é chamada de cinta / banda, só que “maior”).

Um “roll” seria um rolo – estes são fáceis. Mas o que é uma “fatia, especificamente solicitada”, algumas fatias, como esta… redonda”. Adivinha?

Sendo a VSM um grupo de origem alemã, como você valoriza o trabalho dentro de uma multinacional daquele país? Como é a comunicação com a matriz?

Você pode descobrir que a forma de trabalhar é um pouco diferente na Alemanha e aqui, mas isso é perfeitamente superável.

Considero uma boa comunicação, desde sempre.

Como você definiria o ambiente de trabalho no VSM?

O ambiente de trabalho, em geral, eu defino como muito bom.

Muitos gostariam de ter. Para mim, nada pior do que um ambiente de trabalho com tensões, tensões, a gente anda como se diz hoje … Com vibrações ruins.

Alguma lembrança da VSM que você sempre levará com você?

Depois de tantos anos, tenho certeza que vou levar muitos momentos bons (que são a maioria) e ruins.

Sim, porque os tempos difíceis também me ajudaram a aprender a enfrentar os contratempos. Não que seja um exercício agradável, mas vale a pena estar preparado para os próximos golpes.

A memória de todos os meus colegas, especialmente os daqui, bem como dos meus colegas alemães. Com alguns já existe uma relação mais do que de trabalho, amizade.

Eles sempre ficarão comigo.

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *

    SE INSCREVER

    Quer estar em dia com as últimas novidades do setor de abrasivos? Assine nosso blog e não perca nenhum detalhe.